Ruby Bridges: a criança que você mais respeita!

O primeiro dia de aula de qualquer criança já é assustador, mas e quando a criança é a única negra na escola? Pior, e quando isso se passa em 1960?

Ruby Bridges de 6 anos, a criança mais guerreira que você irá ouvir falar! 

1960: A NAACP (Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor) selecionou seis crianças negras que se destacavam nos estudos para integrar um novo sistema escolar em Nova Orleans. Ou seja, negros tinham o direito de frequentar as mesmas escolas que os brancos. Dois dos seis decidiram permanecer na antiga escola, três foram transferidos e a pequena Ruby engressou na William Frantz sozinha. 

Em 14 de Novembro de 1960 foi seu primeiro dia de aula. Um dia marcado na história, marcado na obra de arte The Problem We All Live With, marcado na vida de Ruby. 

Quadro pintado pelo artista Norman Rockwell que representa o primeiro dia de aula de Bridge.

Como podemos ver no quadro, além da escolta e do tomate jogado na parede, tem pichado a palavra Nigger. Que já expliquei sobre ela nesse post aqui.

Assim que ela entrou na escola, os pais decidiram tirar seus filhos de lá, acompanhados também dos professores que se negaram a dar aula pra uma criança negra. Com exceção de Bárbara Henry, que por um ano inteiro ensinou Bridge com a mesma qualidade e dedicação que se estivesse dando aula para a classe inteira. Mas infelizmente durante aquele tempo Bridge e toda a sua família foram hostilizadas e ameaçadas, com o intuito de seus pais desistirem e tirarem ela de lá. Entre vários casos, um deles era o de uma mulher que todas as manhãs ameaçava envenenar a criança. Sim, isso mesmo! Ela queria matar uma criança inocente simplesmente por lutar pelos direitos básicos de um ser humano.

Porque foi o que Bridge fez, ela lutou! Mesmo tão nova e delicada ela tinha total noção de que merecia estar ali, e não se abatia fortemente com as manifestações e agressões ao redor. E isso é lembrado através das palavras de um dos delegados que escoltava ela, Charles Burks: “Ela mostrou muita coragem. Ela nunca chorou. Ela não choramingou. Ela só marchava como um pequeno soldado, e nós estamos todos muito, muito orgulhosos dela.”

Quatro delegados escoltavam diariamente a pequena menina, supervisionando inclusive a alimentação dela, para terem certeza de que mal algum a acontecesse. Aos poucos algumas famílias brancas foram inserindo novamente seus filhos na William Frantz. Alguns vizinhos vigiavam a casa para ter certeza de que a família não sofreria represálias, e toda manhã faziam escolta atrás dos carros dos policiais federais.

Hoje Bridge com 62 anos, ainda vive em Nova Orleans e é presidente da Fundação Ruby Bridges que preza por valores como respeito e diversidade.

Em 15 de Julho de 2011 Bridges se encontrou com o presidente dos EUA Barack Obama, e quando passaram pelo quadro de Norma, ele disse: “Eu acho que é justo dizer que, se não fosse por vocês, eu poderia não estar aqui e nós não estaríamos olhando para isso juntos.”

❤ NEM PRECISO DIZER O QUANTO ADMIRO A FAMÍLIA OBAMA NEH?! ❤

Sabe aquela frase “______ não se discute.”? Isso não existe gente! Tudo se discute, tudo se debate e dialoga, só assim vamos continuar evoluindo e passando por momentos difíceis como aquele 14 de Novembro, mas com vitória e igualdade para todos! 

A terra é de todos e para todos!

Look com peças de R$ 1,00

Sim, é mais barato que o seu Trident monamour!
A bagaceira rainha do bandejão chegou com mais um look da vida com aquele preço que alegra o coração, porque eu não me canso de mostrar que NÃO precisa gastar horrores do seu dinheiro suado em pedaços de tecidos. Muitas vezes fabricados de forma ilegal que nós sabemos!

• Brusinha: Brechó R$ 1,00

Rua Barra Funda, na altura do número 373 / Barra Funda.
Uma das melhores peças que eu tenho eveeeer! “Aaah mas é só uma regata branca Gab”. Não meus amados! É A REGATA. Certeza absoluta que o mais barato que se paga em uma regata de algodão é uns R$19,00 em lojas de departamento. Agora vai ver o preço de uma regata de malha grossa, não sai por menos de R$ 39,00.

• Choker: 25 de Março  R$ 1,80

Choker, choker e choker ♡ tão práticas de se fazer em casa, mas achar essa de veludo por esse preço até eu fiquei “chokada”! Tendeu o trocadilho ruim?!  Hahahaha

• Bermuda: Brechó R$ 1,00

Rua Barra Funda, na altura do número 373 / Barra Funda.
• Flat Form: Via Mia

• Camisa Branca: Pop UP Store  (pega qualquer uma que tiver e tá ÓTEMO)

Essa bermuda resolveu tanto os meus problemas em dia de 45°C que nem sei dizer. E essas Flats – com S no plural mesmo, porque tenho as 3 cores- salvaram as minhas caminhadas eternas pelas ruas de paralelepípedo no Centro da cidade. Eeeeentão se eu fosse você ficava bem de olho no Instagram da Via Mia porque vai ter reposição delas em breve ♡.

Luz!

O que não te contam sobre o AMOR LIVRE!

Aos poucos essa expressão foi ganhando espaço para resumir o que seria um relacionamento não monogâmico. Okay? Okay!
Mas e o que não te contam sobre o AMOR LIVRE?

Bom, o que acontece quando uma pessoa que prática o amor livre se apaixona por uma pessoa que preza por relacionamentos monogâmicos?
Vai por mim, é O CAOS na cabeça daquela pessoa que bem provável pratica mantras logo que acorda.
O(A) monogâmicx te ama e no fim elx acredita que você vai “mudar” e vai querer estar só com elx. Em contrapartida você livre, acredita que a pessoa vai te aceitar desse jeito porque sabe o quanto de amor você tem pra dar.

Geeeente!!! É água e vinho tentando chegar num termo. Dá um tanto de dor de cabeça e infelizmente – vamos trabalhar com essa hipótese – pode ser que não chegue a lugar nenhum.
Prazer (: eu sou a pessoa livre e ele o monogâmico, que aparentemente nunca vamos chegar a lugar nenhum. Já rolaram inúmeras conversas sobre, e no final das contas alguém sempre ficou chateado com os “argumentos” do outro.

“Tia Gab, eu estou nessa situação, o que devo fazer?”

Não sei! E se você descobrir me conta por favor.

São extremos opostos querendo chegar em algum acordo! Mas é muito egoísmo algum dos dois pedir para o outro ceder. Porque não estamos falando de jeito de se vestir, de não querer ver filmes de terror, de pedir pra não colocar cebola na pizza… estamos falando de essência.

Amor livre não significa que eu vou me relacionar com dez pessoas sempre, quase como obrigação. Não tem nada a ver. Amor livre é justamente eu não ter a OBRIGAÇÃO de me comprometer em ser algo que vá contra os meus sentimentos e formas de pensar, isso com 3, 4, 10 ou 1 pessoa só.

Já me relacionei apenas com uma pessoa e sem ter olhos pra ninguém? SIIIIIM! Mas porque eu queria, eu amava estar naquela relação, eu me sentia confortável em estar só com aquela pessoa.
O problema é quando é algo esperado de você, algo exigido, calculado. A chance de alguém livre se desinteressar é grotesca de tão grande.

E o que aconteceu com a tia Gab aqui?!
Bom, ela tá cheia de luz seguindo a vida mas todos os dias pensando no maledito monogâmico.

“Aaaaah tia Gab, porque você não tenta se encaixar no jeito dessa pessoa então?”

E minha resposta é uma pergunta: porque a pessoa não tenta se encaixar no meu jeito então?

Falei pra vocês que rola uma questão bem tensa, caótica, e supostamente egoísta de ambas as partes. Mas o que eu posso dizer é que, seja sincerx desde o começo justamente para a pessoa decidir se ela vai querer ou não estar ali. E um conselho, se em algumas conversas você já percebeu esse tipo de diferença, se afaste um pouquinho e pensa bem fora da caixinha se aquilo é bom o suficiente pra você.

* substitua os “x” pelo azinho de menina ou ozinho de menino (:

Plena 💚

E assim bem plena que vou começar falando desse look… hehe

Aquela roupa sem muito trabalho, sem muito bater cabeça, bem prática e fim. Maaaas com peças “de sempre” ou de brechó 💚💚.

Essa calça já aprendeu o caminho de casa, disso não tenho dúvidas. Mas ela está inteira, linda e maravilhosa, então não precisamos gastar mais dinheiro. Certo? Certo!

• Sandália: Via Mia

Que eu não gasto dinheiro com roupa não é nenhuma novidade. Mas sapato é um pouco mais complicado de achar em brechó, pelo menos eu nunca tive sorte nesse quesito. Então compro TODOS os meus sapatos na Via Mia.

Porque?

• são fabricados no Brasil.

• são suuuuuuuper baratos!!! MUITO MESMO!

• são as coisinhas MAIS CONFORTÁVEIS que já coloquei nos meus pés eveeeer!

• são poucos pares! Então vocês não vão ver quase ninguém com o mesmo sapato. Bom, levando em conta que um dos fatores pra eu comprar em brechó justamente é a exclusividade, então adoro quando isso se estende para os sapatos também!

• e o prazo de troca são de 6 meses, ou seja, durante toda a coleção! Não sei vocês, mas já perdi muita coisa por não conseguir ir trocar e ai já era neh.. passa pra frente!

• Brusinha: Brechó R$ 3,00

Esse brechó merece todo o meu amor e carinho! Ele é de um tamanho mediano, mas você consegue achar muita coisa legal e num valor super Okay também! É que eu sou bandejão na veia neh, então entre R$1,00 e R$5,00 é onde estarei kkkk.

Esses cachinhos…. aaah esses cachinhos! Custam apenas R$ 10,00 pilas. Comprei um ativador de cachos da marca NAZCA ORIGEM lá na Ykesaki da Liberdade. Ele é para todos os tipos de cachos e deixa o cabelo tão leve, tão bom de amar ainda mais. O meu cacho é 2 C (:

Então tá então, e por hoje é só pessoinhas!

Muita luz!

Cultura do estupro existe?

A resposta você me fala quando acabar de ler…

Meia hora sentada em baixo do chuveiro pensando se realmente eu queria escrever sobre isso. Bom, até agora eu não tinha certeza mas pelo que parece (obviamente) já estou escrevendo.

Tudo o que eu me tornei e o que aprendi, têm a cada dia me ajudado a caminhar olhando pra frente, mas também têm me feito abrir os olhos para o que já aconteceu. Coisas das quais eu nunca quis falar por vergonha de mim mesma, nojo, medo do que pensariam, se iriam achar que eu estava mentindo, tantas coisas, tantos pensamentos. Mas eu não posso defender uma causa, lutar por algo, se eu ainda tiver medo. E acho que hoje, expondo cada acontecimento desse, tudo vai estar limpo e bem resolvido comigo. E assim eu consigo ajudar outras mulheres a perceber que a culpa não é delas. NUNCA FOI! NUNCA VAI SER!

  • 2006 – Foi o ano onde minha inocência morreu, eu tinha 13 anos. Onde a tortura psicológica acontecia diariamente comigo mesma. Eu me odiava por estar ali, e só conseguia desejar a morte dele pra tudo aquilo acabar. Tinha um monstro dentro da minha casa!
  • 2008 – Eu me mutilava diariamente, para ter a certeza de que a dor na carne fosse maior do que a que eu sentia no meu coração e na minha cabeça.
  • 2008 – Mais uma das grandes festas que fazíamos na casa de uma amiga. Todo mundo foi embora, e como sempre os mais próximos dormiam lá. Indo para o banheiro encontrei com o namorado (diga-se de passagem, um cara agressivo) de uma das minhas amigas que já estava dormindo. Ele me agarrou, pegou na minha bunda, e em tom de ameaça me apertando disse: “Você não vai contar nada disso pra ELA”, e saiu.
  • 2009 – Eu saí de casa! Estava livre e em paz, e com a certeza de que nada pior podia me acontecer.
  • 2010 – Fui passar o Réveillon na praia com a família de uma amiga (grande parte mulheres). Íamos passar 7 dias na casa. Nosso quarto era dos adolescentes, éramos em 3 meninas e 3 meninos, os primos dela. No quinto dia na casa, eu estava deitada na beliche de baixo com essa minha amiga, quando eu senti alguém passando a mão em mim. Era o tio dela, que havia insistido para dormir no quarto da “molecada” naquele noite. Me mechia como uma lombriga para acordar “sem querer” a minha amiga, sem sucesso nenhum. Passar aqueles últimos dois dias lá, foi uma tortura, eu não conseguia dormir.
  • 2015 – Fui agredida fisicamente mais de cinco vezes por um ex namorado, duas delas resultaram em exames no IML.
  • 2015 – Assim que acabou a tatoo, o tatuador foi passar a pomada para cicatrização, até ai tudo bem. Se ele não tivesse me molestado.

NADA DISSO FOI MINHA CULPA! NENHUM DELES TINHA O DIREITO DE VIOLAR O MEU CORPO! NINGUÉM TEM ESSE DIREITO OU PODER SOBRE MIM!

Mesmo assim tudo isso aconteceu! A maioria das coisas aqui eu nunca falei pra ninguém. Eu acreditava que seria melhor que eu fingisse que aquilo não tinha acontecido ou que tinha sido coisa da minha cabeça. Não foi um estranho encapuzado em um beco escuro! Foi dentro da minha casa, foi dentro do meu círculo de amizades, foi um cara “profissional” que devia estar apenas fazendo o trabalho dele, foi alguém que eu amava. 

Quanto mais próximo o vínculo maior o perigo. Porque você se esconde, mente, omiti, tudo para não prejudicar aquela pessoa que você “conhece”. Se fosse um desconhecido seria mais fácil eu ter pedido ajuda? Provavelmente! Eu não sei, é uma hipótese. Eu não passei por isso, não posso falar do que não sei. Posso falar do que eu sei. E o que eu sei é que mataram a Gabriela que eu amava ser!

Não vou falar de gráficos e nem de estatísticas, porque NENHUMA MULHER quer ser vista como um número. Eu, uma única mulher passei por todas essas experiências de abuso, sem contar as “cantadas” que já ouvi na rua.

Se algo parecido está acontecendo com você, peça ajuda o quanto antes! Conte para uma amiga, alguém que você confie. Eu sei que é difícil, porque do dia pra noite você não confia em mais ninguém, mas não corra esse risco físico. E isso poderá evitar um futuro risco psicológico!

Bandeirantes: os assassinos que se tornaram celebridades.

​Não sei se posso levar como coincidência o fato de eu estar editando esse post há uns dias já, e de repente cair nas grandes mídias o caso de ontem. Onde um casal teria “pichado” o Monumento das Bandeiras e a estátua de Borba Gato.

Há um tempo eu já queria falar um pouco sobre esses caras -portugueses, diga-se de passagem- que INVADIRAM o Brasil atrás de ouro e quaisquer outras riquezas que eles conseguissem carregar de volta nos navios. Inclusive vidas indígenas e nossa dignidade.

Levaram nossa dignidade sim!

E em 1954 nós demos de bandeja o pouco que sobrou, construindo o Monumento das Bandeiras em forma de homenagear pessoas que apenas vieram saquear, estuprar e matar. Infelizmente é antiga a nossa cultura de aplaudir os estrangeiros que nos usam!

Tive que mudar um pouco o foco desse post levando em conta a INTERVENÇÃO ARTÍSTICA que aconteceu nessa escultura. E hoje crianças, ao invés de falarmos do dito cujo, vamos falar sobre essas pessoas maravilhosas que merecem nosso total respeito e admiração. Afinal de contas isso chamou a atenção das grandes mídias, da Polícia Civil e até Perícia. E com isso muita gente aprendeu quem eram os Bandeirantes e o porque daquela “agressão” a escultura.

Pensem comigo, o post que eu estava editando aqui iria atingir a quantidade x que lê o Blog. Já a intervenção feita por esse casal teve a atenção suficiente pra muita gente sair dando Google nas palavras “Bandeirantes” e “Borba Gato”. E graças a isso temos menos pessoas inocentes e ingênuas quanto a história do nosso país, que não é só Futebol e Carnaval.

Sua opinião pode se enquadrar no meu modo de pensar ou não, e eu respeito isso. Mas no momento em que o Brasil está passando por golpes políticos dia sim e o outro também, jovens negros e inocentes morrendo por conta da cor da pele ou mulheres sendo agredidas física e mentalmente todo santo dia em casa ou na rua, e ainda sim a tinta jogada em uma escultura de granito significa mais pra você. Sinto dizer, mas nesse momento da vida você está sendo um ser humano de merda!
Temos vestígios da colonização até hoje impregnado na nossa sociedade, e é nossa obrigação mudar isso para as gerações futuras. E o começo de tudo é sabendo quem foram essas pessoas que arrastam nossa cara no chão até hoje quando temos que ver uma avenida ou viaduto carregando esses nomes, estátuas ou monumentos gigantescos como homenagem.

Entendam um coisa básica, se a sua opinião agredi a existência de outra pessoa ou de outra cultura, já não é mais “só uma opinião”.

Vale lembrar que não é a primeira vez que isso acontece. Também em Outubro só que de 2013, durante um movimento e protesto de indígenas, escreveram “Bandeirantes Assassinos” e derramaram tinta vermelha na escultura.

Bom, tá na hora de repensar qual a importância e representatividade dela e de muitas outras na Cidade! E parar de enxergar como celebridade erros grotescos como essa construção, onde você vai lá tirar fotos sem ao menos saber quem foram ou passar vergonha na internet colocando galões de tinta no mesmo grau de importância das vidas que foram perdidas a troco de nada.

Setembro amarelo ou febre amarela?

Salve, salve.

Bom, só pra variar vamos levantar um tema polêmico aqui neh. Afinal eu nunca faço isso 😐

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.”

Essa é a descrição da campanha no site oficial, para não dizerem que eu passei a informação errada. Agora vamos interpretar tudo isso:

“Prevenção do suicídio”: faz parecer que é uma doença ou algo que está todo o tempo ao nosso controle, para que possamos prevenir.

“Alertar a população”: alertar a POPULAÇÃO ? Sério isso? Não é uma forma de ajuda pra quem precisa e sim uma campanha para quem está de fora?

Vamos lá. Não podemos e não devemos “romantizar” a prática de suicídio, tentativa do mesmo ou depressão. Quando se diz em “alertar a população” faz parecer que a preocupação é justamente com quem está de fora da situação, e não a pessoa que está encarando as questões internas. Aaah, mas Gabriela quando você alerta a população, as pessoas se sentem sensíveis com isso e vão se mobilizar.

Tem certeza?

Prevenção da dengue serve pra casa um aprender a cuidar do seu próprio quintal. Prevenção ao câncer de Mama, faz com que cada mulher se mobilize em ir fazer o exame. Prevenção do câncer de próstata, é voltada para que cada homem também se mobilize para fazer o exame de toque. Prevenção do HIV faz com que cada um, vá atrás de um posto fixo ou móvel realizar o teste. Tudo isso é o que? Prevenção á vida, certo? Certo! Mas é cada um fazendo por si. Por mais que algumas pessoas tentem dar um toque em algum amigo ou parente para ir atrás, toda a prevenção é focada em você e não no coleguinha.

“Prevenir” o suicídio não é a palavra e nem o modo correto de tratar esse assunto. Frases legais e motivadoras de um desconhecido em redes sociais quase nunca vão salvar a vida de alguém.

Nós precisamos abrir os nossos olhos, é isso que precisamos fazer! E dar uma cor diferente para cada mês do ano não vai mudar muita coisa. Quem passa pela depressão, não passa porque uma empresa de marketing e toda uma mídia não estão dando atenção pra ela e lembrando o quanto ela é importante. Ela passa por isso por problemas próximos, íntimos e pessoais, e nós que estamos perto temos o dever de reparar isso. 

Não tem como você não saber, não tem como não perceber que tem algo de muito errado acontecendo com alguém próximo de você. Algumas vezes, em alguns casos a pessoa consegue camuflar aquilo tão bem que fica realmente quase imperceptível. Mas sempre podemos ajudar alguém fazendo uma coisa bem simples, ouvindo! Pode ser que o problema seja na família, com a vida social, com um namorado ou namorada, ou qualquer outra questão que não envolva você. Mas se você é uma pessoa disposta a ouvir, a rir, e melhorar o dia de alguém, você já está ajudando.

NÃO É COMPARTILHANDO AUTO AJUDA EM REDES SOCIAIS QUE VOCÊ VAI AJUDAR! É sendo amigo, sendo confiável, sendo prestativo, sendo humano!

Precisamos parar de querer popularizar tudo, dar nomezinho bonitinho pra tudo, romantizar tudo em mídias, tudo se torna viral demais, como uma febre amarela. Ser HUMANO não é só olhar pela vida de quem está do seu lado diariamente, é principalmente olhar a vida de quem não tem vínculos com você, mas as vezes é quem mais precisa.

Passei por depressão quatro vezes e três tentativas de suicídio! Cada um tem a sua história e a sua bagagem, e se cura de forma diferente. Mas tenho certeza que um banner amarelo dizendo que eu tenho liberdade pra falar não ajuda. Quem está nesse estado na maioria das vezes não quer falar, quer sentir! Sentir que é importante, sentir que ainda vale, sentir que precisa estar aqui, não por alguém mas por ela mesma.

E coloquem uma coisa na cabeça: SUICÍDIO E TENTATIVA NÃO SÃO COISAS DE GENTE FRACA! Se alguém te disser que já pensou na possibilidade de tirar a própria vida, JAMAIS diga isso a ela.

UBUNTU!